terça-feira, 30 de abril de 2013

Trilha da Pedra da Gávea

Esse sábado fomos a um dos pontos mais difíceis de se chegar no Rio de Janeiro por trilha, mas para quem tem seus 30 e poucos anos e viu "Os Trapalhões" sendo engolidos por monstrons que ficavam na Pedra, a curiosidade de subir é enorme.

Morando na Barra da Tijuca, de onde se vê a Pedra de qualquer lugar, essa vontade aumenta ainda mais e mesmo tendo ido diversas vezes nela, e saber a dificuldade que é chegar até lá, a recompensa vale o esforço. Como dizem por aí "no pain no gain" e é bem por aí mesmo.

Como estávamos num grupo experiente, que conhecia outros caminhos, fizemos um roteiro de subida alternativo, sem passar pela Carrasqueira, sempre temida, mas enfrentamos desafios um pouco maiores que ela. Lembre-se SEMPRE vá com alguém que já conhece a área. Vou descrever mais abaixo. Vamos às dicas se vc quiser repetir a aventura que fizemos.

Preparativos:

Minha dica principal é: Comece cedo! Se está com preguiça de estar lá no pé da trilha pelo menos umas 8 da manhã, desiste, melhor ir passear na praia ou fazer algo mais tranquilo. A trilha é longa, algumas vezes engarrafa nos trechos mais difíceis, tem que começar cedo.

Na mochila sempre leve bastante água, pelo menos 1 litro por pessoa, de preferencia congelada pra ela ir descongelando no caminho. Um bom lanche é fundamental. Lembre que vai levar umas 2 a 3 horas subindo e vai praticamente almoçar lá em cima, pra descer isso tudo. Sanduiches naturais, frutas, são ótimas opções. Levamos um biscoito doce pra manter a glicose em dia também. Traga seu lixo de volta!! Não vai querer sujar um local tão lindo como esse.

O início da trilha fica num condomínio de casas, até onde pode ir de carro. Dali pra frente só a pé. Na entrada da trilha, informe seus dados e de seu grupo na guarita de controle. Caso tenha algum problema eles vão saber quem são e quantos.

Pico dos 4:

Nossa subida foi pelo Pico dos 4 que é feita pelo memso caminho tradicional, mas pegando uma bifurcação não sinalizada (não tente sem um guia que conheça), passando por um riacho e circundando a pedra pela direita, enquanto o caminho tradicional vai pela esquerda. A trilha é bem fechada e pesada mas depois de 1 hora e meia num ritmo médio chegamos a um penhasco que chamam de Garganta do Céu. De um lado, um paredão de pedra, do outro um visual fantástico!



Saindo de lá, começa o caminho mais pesado, bem mais íngrime e arriscado com diversos cabos de aço colocados para auxiliar na escalaminhada. Novamente digo, só suba por esse caminho com quem tem esperiência e conhece pois não é fácil.
Durante a subida, a trilha é sempre exposta ao penhasco, em alguns momentos só tem mato para auxiliar a subir, sem árvores ou raízes como nas trilhas convencionais, vejam a foto abaixo.

Trilha exposta ao penhasco pelo mato após cabos de aço - Pico dos 4
Aproximadamente 1 hora depois, vc chega ao topo da Pedra, um pouco depois do ponto onde a trilha convencional termina.

Topo da Pedra da Gávea - Mesa do Imperador:

Parabéns, vc chegou ao topo de uma das trilhas mais difíceis e que possui um dos visuais mais fantásticos do Rio de Janeiro.

Lá to alto vc consegue ver não só São Conrado e a Lagoa Rodrigo de Freitas (emoldurada pelo 2 Irmãos e a Favela da Rocinha, como consegue ver o Elevado do Joá e do outro lado a Barra da Tijuca e Jacarepaguá com todos os seus lagos.

Barra da Tijuca vista da Pedra da Gávea
Elevado do Joá visto da Pedra da Gávea
São Conrado e Zona Sul vistos da Pedra da Gávea
 Aproveite o visual, faça seu lanche reforçado, retoque seu protetor pois no topo da Pedra não tem árvores, ou seja, não tem sombra pra se esconder. Tire fotos, muitas fotos! Descanse também pois a descida é longa e tem que ser feita pelo caminho convencional pois o Pico dos 4 não tem como descer por ele pelo alto risco de acidente.

Descida pela trilha convencional - Carrasqueira:

A descida pela trilha convencional significa que a tão falada e temida Carrasqueira estará no seu caminho. Saindo do topo, descendo beirando a pedra, em alguns minutos estará no alto da Carrasqueira onde é muito comum encontrar um grande engarrafamento com diversos grupos tentando achar um canto para subir/descer usando cordas ou apenas "escalaminhando" pelas pedras.

A carrasqueira nada mais é que um trecho rochoso, com diversas frestas que podem ser usadas para apoiar e com isso chegar ao topo e descer do topo dela e no mesmo local, do lado esquerdo de quem sobe, uma face lisa, usada por quem está com equipamento de escalada para descer de rapel mais facilmente. O que todos temem é que do alto dela, dificilmente se vê o fim e no final dela tem apenas uma trilha e um grande barranco  com apenas mato.



Passando pela temida Carrasqueira, mais 1 hora e meia num ritmo médio, descendo com cuidado mais sem parar muito, chega-se ao ponto inicial da trilha, passando pela praça da Bandeira, alguns lances de "trepa pedra", Pedra do Navio e outras pequenas cachoeiras no início.

Nessa trilha que fizemos, começamos aproximadamente 8:30 da manhã, chegando ao topo por volta de 12 hs, saímos do topo às 14:30, ficamos presos aguardando o fluxo de pessoas na Carrasqueira por aproximadamente 1 hora e meia, começando a trilha de volta às 16hs, chegando ao final da trilha, já escurecendo, às 17:30.